Informação

Nome: António Leonel Vilar Nogueira Sousa
D. Nascimento: 13-04-1980
Altura (Mt): 1.84
Peso (kg): 79
Nacionalidade: Portuguesa
Naturalidade: Lourosa
Posição: Defesa Central
Número da Camisola: 13
Clube: SPORTING CLUBE DE PORTUGAL

Ultras Tonel

Os Ultras Tonel são um grupo de amigos que vê no jogador António Leonel um excelente central, que demonstra em todos os jogos a sua garra de leão. Quando o vimos ser apresentado de leão ao peito não imaginaríamos que viria a ser um pilar da "nossa" defesa. No entanto, com o passar a época agarrou as hipóteses dadas e tornou-se com Polga um dos principais chefes da defesa leonina. Foi, assim, crescendo a empatia entre nós e o Tonel, de modo que após o golo frente ao Estrela da Amadora que nos deu a vitória, tivemos a ideia de criar um estandarte e percorrer Portugal (e não só) com a equipa do SPORTING!

Força Tonel! Estaremos Sempre Contigo!

Mail: antonioleonel13 ARROBA gmail.com

Vídeos

Loading...

quinta-feira, 20 de setembro de 2007

SPORTING 0 - 1 manchester united

Desilusão.

É a palavra que melhor descreve aquilo vai na alma de todos nós Sportinguistas neste momento.

Primeira parte muito boa em que o Sporting jogou e não deixou o Manchester jogar, com uma defesa em altíssimo nível como sempre e um meio campo com Veloso de volta às grandes exibições.

Um grande remate de Liedson para uma espantosa defesa de Van der Sar a negar o golo.

Ao intervalo comentei com o Pasteur que ia ficar extremamente desiludido se o Sporting perdesse este jogo. Parece que estava a adivinhar.

Na segunda parte o Manchester veio para cima de nós, mas mesmo assim TONEL, Polga, Ronny (principalmente estes 3) e Abel (que ontem não esteve muito inspirado) iam dando para as encomendas.

Até que ao minuto 62' aconteceu aquilo que se esperava: perda de bola no meio campo, ninguém a pressionar (só o Veloso atravessou por 2 vezes o campo a correr atrás da bola) e depois o cruzamento para Cristiano Ronaldo marcar sem apelo nem agravo com Abel a ficar nas covas.

Até final o Manchester ainda fez mais uma ou duas jogadas perigosas, mas sempre com a defesa do Sporting a corresponder.

E depois, tal como em Milão o ano passado, o Super Guerreiro a fazer um grande remate de cabeça e a ficar com vontade de arrancar os cabelos. Em Milão foi o poste que não deixou, agora foi outro poste chamado Van der Sar com mais uma enorme defesa. Ainda sobrou a bola para a recarga que o inútil Djaló não soube aproveitar.

Momento do jogo: os Sportinguistas mostraram o que faz deles (nós) diferentes e aplaudiram o golo do Ronaldo, ao contrário de outros que na selecção se ele pedisse até lhe faziam favores sexuais quando marca um golo ou faz uma finta, mas que depois só o sabem receber com assobios e insultos. E aquando da substituição todo o estádio de pé a aplaudir excepto dois inergúmenos atrás de mim que não distribuiram mais insultos porque o dicionário deles não devia ter mais - foram a tal excepção que confirma a regra.

Enfim... se houvesse campeonatos de moral éramos campeões de certeza. Como não há vamos ficando pelo quase.

No final...

Queirós elogiou a exibição de Djaló. Das duas uma - ou já tem algum jogador fisgado (o Veloso por exemplo) e agora quer mandar-nos areia para os olhos ou então há qualquer coisa ali que não percebo, mas o que é certo é que o Nani não rendia no Sporting 50% do que rende no Manchester.

Ferguson agradeceu a Van der Sar pela grande exibição que permitiu que o Manchester saisse de Alvalade com a baliza inviolada. Palavras para quê?

No Record Tonel sublinha que “a equipa não revelou falta de frescura” e assume que “a grande categoria e experiência do guardião contrário” evitou que marcasse.

No Mais Futebol
Tonel, comentou desta forma a derrota frente ao ManUtd e a grande oportunidade de golo que não conseguiu aproveitar, graças a uma grande defesa de Edwin Van der Sar:

«Não estou satisfeito com o resultado. A exibição foi melhor que o resultado. Jogámos bem. Dominámos o jogo e fomos uma boa equipa. Não tivemos a felicidade do nosso lado. O Manchester com um remate conseguiu fazer um golo e colocar-se em vantagem, a partir daí arriscámos tudo e tivemos oportunidades, inclusivamente eu. Van der Sar fez uma grande defesa. Foi o que estávamos à espera. O Manchester é uma equipa experiente, matreira e que teve a sorte do seu lado.

[O Sporting quebrou muito no aspecto físico...] Acho que não foi por aí que perdemos o jogo. Não tem a ver com aspecto físico. É verdade que assumir o jogo durante os 90 minutos, como nós fizemos, causa algum desgaste. Mas não foi por aí que perdemos.

[No lance do golo há culpa dos centrais?] Não. Há culpas da equipa, porque tínhamos a bola e acabámos por perdê-la. Houve um desequilíbrio cá atrás e contra estas equipas um pequeno erro torna-se num grande erro, porque eles aproveitam.

[Acreditou que podia marcar, no lance em que Van der Sar defendeu?] Recebi o cruzamento do Veloso e vi que a bola vinha bem encaminhada para o meu lado. Tentei colocá-la no poste contrário e cabeceei bem, mas o Van der Sar, com toda a sua experiência e estatura, posicionou-se bem e fez aquela defesa.

[Há alguma indicação especial para evitar os atrasos ao Stojkovic?] Não, não há qualquer indicação.»


Cuidado com esse pé!



É minha!


É minha outra vez!


AHHHHHHHHHHHH!


Onde é que pensas que vais?


Por mim, estás desculpado

segunda-feira, 17 de setembro de 2007

estrela da amadora 0 - 2 SPORTING

TONEL vezes 150

É verdade, parece que já lá vão 150 jogos desde que o nosso menino se estreou no Campeonato, I Liga, Superliga, Bwin Liga, chamem-lhe o que quiserem... E cada vez está melhor!

Mais um jogo mais uma vitória, não fora aquilo que já sabemos e já lá iam 29 jogos consecutivos sem perder fora.

O jogo começou bem, à passagem da meia hora já o Sporting tinha o resultado feito com dois golos de Liedson e Vukcevic e outros tantos anulados ao Levezinho (fora de jogo de Tonel) e ao Purovic.

Mais um penalti incrivelmente roubado ao Sporting e ainda por cima amarelo ao Abel vá-se lá saber porquê (simulação? enfim...).

Mais um fora-de-jogo escandalosamente marcado ao Sporting numa jogada de golo iminente em que o passe (ou deverei dizer atraso?) é feito por um jogador do Estrela.

Na segunda parte foi só controlar o rumo dos acontecimentos. E poupar energias para Quarta-Feira. Ainda deu para ver uma ou outra boa jogada do Sporting, mas foi difícil manter os olhos abertos por causa do sono.

Mais um penalti roubado ao Sporting - falta sobre o Vukcevic que o senhor (?) árbitro fez o favor de tele portar para fora da área - para não variar.

Mais uma "falta" de Moutinho dentro da área do Estrela, nas barbas desse tal Paulo Pereira em que a perna do Moutinho passa para aí a 1 metro do jogador do Estrela.

Podia referir mais umas quantas jogadas mas penso que estas já são suficientes para não me acusarem de só criticar as arbitragens quando o Sporting perde...

No final o Super Guerreiro falou aos jornalistas...

Sobre o Estrela da Amadora...

«Foi bom. Penso que entrámos muito bem no jogo, como queríamos. Conseguimos chegar a uma vantagem confortável ainda a meio da primeira parte e a partir daí gerimos o jogo. Entrámos na segunda parte com a missão de, se possível, fazer um golo e acabar definitivamente com o jogo, mas não conseguimos. Podíamos ter tido mais posse de bola, mas fica o resultado, 2-0. Ninguém se lesionou, o que é bom. A equipa ganhou, estamos felizes.»

E sobre o Manchester United...

«É um jogo diferente, com características distintas. É uma equipa diferente. Sem querer menosprezar o Estrela, a verdade é que é uma equipa de outro campeonato e tem outro andamento. Esperamos um jogo bastante difícil, como é normal.

[Vai ter pela frente Nani e Cristiano Ronaldo, o que espera?] Espero um jogo difícil. São onze contra onze. Já se sabe que o Manchester United tem jogadores que podem desequilibrar. Estamos atentos a isso e penso que estamos preparados. Quarta-feira é que vamos ver o que acontece.

[Esperam um estádio cheio?] É evidente. Os nossos adeptos nunca nos têm deixado mal e contamos com o seu apoio. Precisamos que nos apoiem porque é um jogo dificílimo e penso que com o seu contributo será menos difícil.»

in maisfutebol

Sobre a exibição do Super Guerreiro o jornal O JOGO atribui-lhe nota 3.5 (a mesma do melhor em campo - Liedshow) diz que

Não concedeu quaisquer veleidades aos atacantes tricolores. Raçudo como é seu apanágio, leu sempre bem os lances e foi preciso nas intervenções, anulando sempre as tentativas de penetração dos atacantes amadorenses.